Colocação em ordem da qualidade dos dados.

Operadora de telecomunicações

Situação

Uma operadora de telecomunicações quer trabalhar para uma organização orientada pelos dados, com um elevado grau de digitalização. Devido a integrações limitadas de sistemas, esta ambição da qualidade de dados é inviabilizada por sistemas criados de forma demasiado livre e pela contaminação de dados históricos. A organização tem vindo a tentar mudar isto há anos, mas com muito poucos resultados, pelo que as respetivas ambições não estão a ser alcançadas.

Abordagem
  • Com o Vasco Scan são mapeados os atuais problemas na qualidade dos dados.

  • Usaram-se os conhecimentos obtidos para definir uma abordagem: uma combinação de gestão de metadados, painéis de qualidade de dados, limpeza de dados (manual e por scripts) e incorporação organizacional.

  • Seguidamente, esta abordagem foi trabalhada e implementada.

Resultado
  • As percentagens de qualidade dos dados melhoraram, de aproximadamente 82% para 95%, no prazo de seis meses.

  • Para tornar possível a ambição da digitalização e do trabalho orientado pelos dados, a ambição continuou a crescer e foi garantida operacionalmente num processo, em dezoito meses, até aos 99%.

  • Para a implementação de novos sistemas de TI, acordou-se a migração dos dados apenas com uma qualidade de 100%. Por isso, as ações necessárias de limpeza de dados foram empreendidas como parte dos lotes a migrar.

  • A qualidade dos dados, presentemente, é um indicador-chave de desempenho obrigatório no âmbito dos processos empresariais da organização.

Setor
Telecom
Serviços
Grip on data
Vasco Scan
Temas
Data quality
IT
Pessoas
Dolf HelslootRené Wildoër